Pesquisar

Marketing para advogados: como usar o algoritmo do LinkedIn ao seu favor

Por

3 de maio de 2022

Não é novidade que o LinkedIn é uma rede social cada vez mais valorizada pelos advogados. Manter uma presença nessa rede social hoje é praticamente obrigatório para os profissionais que se preocupam com sua carreira e marca pessoal, além de ser um canal vital para o desenvolvimento de negócios de muitas bancas jurídicas.

Todavia, apesar da popularização do LinkedIn, boa parte das estratégias de marketing na plataforma ainda é baseada em evidências anedóticas ou informações ultrapassadas. Afinal, dados científicos e atualizados sobre a rede social ainda são raros ou de difícil acesso.

Por sorte, no final de 2021, a consultoria Just Connecting divulgou a terceira edição de seu relatório anual sobre o algoritmo do LinkedIn, resultado de uma pesquisa aprofundada que analisou o conteúdo e o desempenho de mais de dezenas de milhares de posts na plataforma.

O relatório, então, apresenta orientações valiosas para todos os advogados que estão presentes no LinkedIn. Porém, é importante ressaltar que a rede social está constantemente aperfeiçoando seus cálculos e que as orientações a seguir não devem ser consideradas como regras permanentes.

Assim, confira algumas conclusões do relatório que são muito úteis para os profissionais que querem usar o algoritmo do LinkedIn ao seu favor:

Pense no timing da publicação 

O relatório sobre o algoritmo do LinkedIn demonstrou que o timing da publicação de um post é essencial. Entretanto, em vez de encontrar o melhor horário exato de postagem, é necessário pensar em qual momento seu conteúdo conquistará mais reações dos seus seguidores.

Isso porque, nas primeiras duas horas após a publicação, os conteúdos postados em um perfil de LinkedIn são exibidos para um “grupo teste”, composto apenas por uma parcela de conexões ou seguidores.

Se esse grupo teste reagir bem à publicação nesse intervalo de tempo, seu post será recompensado com ainda mais alcance. Todavia, se o conteúdo não performar de maneira satisfatória nas duas horas iniciais, o post com certeza será penalizado e “escondido” pelo site.

Após as primeiras duas horas e até 24 horas após uma publicação, o LinkedIn continuará recompensando ou punindo o alcance do post de acordo com o seu engajamento, mas apenas com metade do impacto em relação ao período inicial. Após 24 horas, reações ou comentários em um post não alteram significativamente seu alcance.

Aproveite a relação entre tags e alcance 

Taguear outros perfis em um post é uma ótima maneira de garantir maior alcance e engajamento do seu público, mas o recurso precisa ser utilizado de forma inteligente.

O relatório da Just Connecting, por exemplo, revelou que se a pessoa ou empresa tagueada no texto de um post não interagir com esse conteúdo, a publicação terá o seu alcance penalizado pelo LinkedIn em até 50%. Por isso, utilizar tags de maneira frívola e em excesso pode ser muito prejudicial.

O contrário também é válido: se o perfil tagueado comentar no post, a publicação será exibida para 10% a 15% mais usuários. Entretanto, se a pessoa tagueada apenas “curtir” o post, independentemente da reação escolhida, não há qualquer efeito sobre o alcance do conteúdo.

Assim, a melhor maneira de aproveitar essa característica do LinkedIn é produzindo conteúdos colaborativos e investindo em posts com potencial de gerar discussões relevantes entre suas conexões.

Publique outros formatos 

A pesquisa sobre o algoritmo do LinkedIn também avaliou quais são os formatos de posts com melhor desempenho na plataforma.

As enquetes, por exemplo, possuem em média 450% mais alcance do que uma imagem simples. Trata-se, então, de um ótimo conteúdo para impactar muitas pessoas.

Documentos com várias páginas (em arquivos PDF ou Power Point) são o segundo formato mais recompensado pela plataforma, com 250% mais alcance do que uma foto ou um texto simples. Posts com diversas imagens, no estilo álbum, têm 150% mais alcance.

Por outro lado, um post que contém um link externo possui 50% menos alcance no LinkedIn do que uma publicação semelhante e sem links.

Surpreendentemente, conteúdos que são postados no formato de “artigo” são os mais penalizados pelo LinkedIn. Um texto publicado nesse formato terá menos 90% de alcance em comparação com o mesmo conteúdo acompanhado de uma imagem simples no feed.

Aumente o Tempo de Retenção 

Muitas pessoas focam muito na quantidade de reações ou comentários de um post no LinkedIn, mas poucos sabem que, desde 2020, a rede social tem valorizado outro fator muito importante: o Tempo de Retenção de um post.

O Tempo de Retenção de uma publicação depende de duas coisas: o tempo médio que sua audiência gasta consumindo o seu conteúdo e o número de pessoas que clica em “ver mais” após a terceira linha de um post.

Por isso, ao contrário de outras redes sociais que valorizam conteúdos curtos, o LinkedIn tem recompensado textos e vídeos mais longos, bem como documentos PDF e PPT com diversas páginas.

Desta forma, vale a pena investir em conteúdos mais densos no LinkedIn, desde que eles realmente prendam a atenção da sua audiência.

Você pode gostar também do artigo: Anúncios no LinkedIn: dicas para escritórios de advocacia empresarial

Escute também o episódio do Juridcast: Planejamento de redes sociais: o que você precisa saber, com Rafael Kiso, fundador da mLabs, plataforma de gestão de mídias sociais do Brasil.

Compartilhe

Newsletter

    Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma boa experiência de navegação e analisar o tráfego do site, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.